quarta-feira, 16 de março de 2011

Bruna a blogueira prostituta!

Gostaria de salientar uma coisa - não estou fazendo apologia ao sexo, nem estou incentivando a prostituição com esse post.
Gostaria de expor um lado diferente e bem interessante, do qual, as pessoas preferem esquecer.

"A Puta" como todos gostam de dizer, não é um ser diferente, tipo, um alien ou algo do gênero. Chamar uma mulher de puta é apenas classificar de modo erróneo uma pessoa qualquer, deixando o sentimento do preconceito falar mais alto.
Acho terrível quando alguém classifica uma mulher como "puta" e olha para ela com olhos de repreensão - como se quem profere essa palavra não fosse.
Se parar para refletir, quando uma mulher casada se entrega ao seu marido para satisfazer os desejos dele, em troca de não receber maus tratos e agressões, ela está sendo uma puta, pois, está vendendo seu corpo em troca de tranquilidade e bom relacionamento.
Então o que é ser PUTA?
Vender o corpo em troca de algo?
E a luz reina no universo...
Reflitindo a gente percebe o quanto já não se vendeu nessa vida, mas há hipocrísia da sociedade ainda é muito forte, enfim o tema de hoje é: Bruna Surfistinha, ou Rachel Pacheco a prostituta que virou blogueira, escritora e famosa.
Seu filme já arrecadou cerca de 4,5 milhões de reais em ingressos vendidos, cerca de 9 milhões de espectadores - se contar os internautas acho que esse número triplica.
Bruna Surfistinha em O doce veneno do escorpião, está na lista como o sétimo filme mais visto do cinema nacional, o top é claro; Tropa de Elite com 1.309.324 espectadores.
Por qual motivo Bruna chamou tanto a atenção da sociedade? Por ser prostituta, ou por fazer de sua profissão algo um pouco mais digno?
Erros todos cometemos, com ela não foi diferente, mas dizer que o caminho da prostituição foi totalmente ruim em sua vida, isso não foi.
Antes ela ser considerada "a puta" Rachel era uma garota de classe média, que possuía todas as riquezas e mimos possíveis.
O grande motivo para a jovem ter se entregado a essa vida, sem dúvida foi a pressão dos pais, da sociedade e a incapacidade de ser ouvida. Estamos sempre correndo e cobrando as pessoas, nunca as ouvimos ou deixamos que se expressem.
Considerando a parcela de jovens e adolescentes de classe médica, que assim como Bruna, se tornaram viciados e partiram para uma vida desregrada, podemos perceber o quanto a falta de serem ouvidos os transforma.
O surgimento dos blogs em sua maioria está privilegiando a sociedade como um todo. Adolescentes, jovens e adultos se refugiam nesse universo para expressar o que muitas vezes não conseguem com amigos, parentes, familiares ou até mesmo psicologos.
Bruna / Rachel não foi diferente, quem sabe esse universo "bloguistico" não acabe ganhando cada vez mais espaço e desenvolvendo pessoas pelo mundo todo.
Bem, eu dou os parabéns a Bruna Surfistinha, não por ser garota de programa, mas por mostrar a sociedade que ninguém é apenas isso ou aquilo, somos um emaranhado de coisas absorvendo a cada instante novas emoções e sentimentos, que podem ou não mudar nossos destinos.
O caminho a se trilhar não depende de quem está a sua volta, mas de querer fazer algo que revolucione a sua vida.
Como blogueira, digo que Bruna merece o dinheiro que tem, como pessoa digo que você escória do mundo que classifica uma mulher ( homem), como puta ( garoto de programa ) é um infeliz, por acreditar que seu "empreguinho" registrado é melhor do que qualquer coisa.
Jesus não teve preconceito com Maria Madalena, então por quê você tem?
Até mesmo os religiosos são hipocrítas, por tanto, antes de falar merda sobre algo que você não sabe. BUSQUE O CONHECIMENTO, já dizia o ET Bilu!

Beijos cafeinados e até a próxima!
Pri Viotto

Fonte: Globo.comNão, Não para

10 comentários:

  1. Concordo com tudo que você disse! Assistir e amei o filme.. Sempre tive essa concepção.. As vezes tudo não quer dizer nada da pessoa.. Como exemplo, temos Maria do bbb, que é atriz de filme porno e é uma ótima pessoa.. Sorte!

    ResponderExcluir
  2. Achei o vídeo na internet, vou ver para poder opinar melhor.

    Quanto a profissão de prostituta. Tem tanta mulher que se casa com homens que sente até nojo por conta do dinheiro. Isso para mim é pior que prostituição, porque é hipocrisia.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Sempre achei que as pessoas são mais do que aparentam ser e que por trás da "fama" e de suas posturas, têm muito mais a oferecer do que achamos. Cada um de nós é uma caixinha de surpresas...

    Belo post

    ResponderExcluir
  4. Li o post e achei legal ter escolhido um tema bem polêmico. Concordei com algumas coisas escritas, como por exemplo, a hipocrisia e preconceito das pessoas que se dizem de bem. Detesto gente desse tipo. Mas discordo de outras coisas.
    Não gosto de ficar fazendo críticas sobre o que as pessoas fazem ou não da sua vida; cada um tem o direito de fazer o que achar melhor pra si, mas tenho a minha opinião sobre as coisas.
    Não existe situações específicas que fazem as mulheres e rapazes tornarem-se profissionais do sexo. Cada um tem os seus motivos e desde que suas escolhas não interfiram na vida de outras, acho que temos a obrigação de respeitar.
    Assisti ao filme e não tem nada a ver com a realidade contada no livro, que lembremos, foi escrito por ela.
    "O grande motivo para a jovem ter se entregado a essa vida, sem dúvida foi a pressão dos pais, da sociedade e a incapacidade de ser ouvida." Esses três motivos nunca existiram, afinal, o que a sociedade podia tirar de uma adolescente de 17 anos para poder pressioná-la? Os pais, como ela mesma falou em entrevista no Superpop, sempre a amaram muito. Querer que o filho estude, aja de forma correta é pressionar?
    O filme não mostra que ela tinha compulsão por roubo e que roubou várias vezes a família. Mostra apenas que ela furtou o colar caríssimo da mãe qd ela saiu de casa e que foi posteriormente furtado por uma das colegas de prostituição e isso não é verdade, ela o roubou ainda enquanto morava com os pais e o vendeu por menos da metade do valor de mercado. Por isso eles passaram a ignorá-la, cortaram as mordomias que ainda tinha mesmo depois de o pai não poder mais sustentar uma vida com o status anterior, tiraram-na da escola que estudava com nível de ensino superior às demais.
    O filme não mostra que ela concordou em ter um relacionamento conjugal com um cara que ainda era casado. Ou seja, ela já deixou de ser a prostituta e passou a ser a hipócrita. Quis respeito e não respeitou a verdadeira esposa do cara.
    O que o filme quis passar foi a imagem de boa moça que foi mal compreendida. Ela pode até ser boa pessoa, eu não duvido disso, mas mal-compreendida acho também que é um pouco demais.
    Peço que não me tachem como uma pessoa preconceituosa, por que não sou, não sou rica, venho de família negra (etnia q sofre preconceito), e aprendi a respeitar as decisões alheias. Inclusive tive uma vizinha prostituta que era uma pessoa super gente fina e decente. Mas há certas coisas que não dá pra fechar os olhos, dizer que é plausível e que a sociedade está sendo cruel como de costume.
    O que comentei aqui é apenas uma questão de opinião. Uma forma particular de ver a situação. Não estou defendendo a sociedade com suas reais hipocrisias e nem querendo contrariar a opinião de ninguém. Acho que de tudo que sei, a única coisa a qual posso aplaudir de pé é a coragem dela de expor as suas verdades, a sua vida em um livro para a sociedade, sabendo que ela seria duramente criticada. Nem todo mundo teria essa coragem ou suporte emocional suficiente para aguentar.
    Desculpe ter transformado o meu comentário num quase post, devido o tamanho. rsrs

    ResponderExcluir
  5. Su nem precisa pedir desculpas por nada, e com relação as coisas que você falou fiquei chocada!
    Como assim ela roubava?? Cadê que aparece no filme?
    Essa liberdade de expressão do autor, vou te contar ¬¬#

    Com relação ao seu comentário, eu me basiei apenas no filme, pois, foi a única coisa que me fez ter proximidade com Bruna Surfistinha. Nunca lê o livro dela, mas tenho que admitir que fiquei bem curiosa, depois de seu comentário.
    Com relação ao sentimento de querer se expressar; o filme mostra que ela não tinha uma comunicação muito boa com sua família é o que dá a entender.
    E a pressão que disse é em relação aos amigos de colégio, ao momento que o irmão fica izibindo seu emprego. Nossa a visão que passa é totalmente diferente do que você disse ter visto no livro.
    A sensação que tive ao ler seu comentário, foi que o filme foi algo para tentar limpar a imagem dela.

    Fiquei sabendo de boatos que a esposa do "marido" de Bruna, estaria publicando um livro contando a versão dela da história e, que provavelmente existiria um filme como uma continuação vista do lado da ex-mulher dele.

    Enfim, é um assunto a se pensar. Não vejo você como preconceituosa, pelo contrário. Você teve culhões para comentar isso já prova que você tem ideias e conceitos, preconceito geralmente não tem, é como uma ideia que se repeti sem nenhum embasamento.
    Chega de falar, vou refletir mais sobre esse assunto...essa Bruna surfistinha...vou te contar.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá Meninas,

    Embora eu esteja na campanha “Não comentar no Café com mulheres pois elas nunca comentam no meu” essa eu não poderia deixar passar, afinal sempre fui defensor das Prostitutas, ou melhor: Profissionais de entretenimento sexual masculino.

    Vi que você disse sobre a mulher casada que faz os caprichos do seu marido em troca de paz e tranquilidade pode ser uma Puta. Do meu ponto de vista esta errado, afinal fazer os caprichos é uma das regras do casamento. Em minha opinião PUTA é aquela que sim faz caprichos do homem para depois ele pagar o Cabeleireiro dela, as maquiagens, roupas, escola dos filhos, ou seja, aquela VAGABUNDA que não sabe trabalhar e vive do dinheiro de seu homem, Sim essa é uma PUTA!

    Já a tal Bruna Surfistinha, que de prostituta virou blogueira, escritora e famosa, hoje em dia qualquer pessoa que escreve coisa engraçada, coloca imagem que em TODOS os blogs tem, já é blogueiro. Até meu Cachorro é blogueiro hoje em dia.

    Pena dela? Jamais, dizer que virou puta por que não era ouvida e etc. MENTIRA! Hoje em dia todo mundo acha desculpinha para tudo. A verdade nua é crua é “Virou prostituta pois era uma viciada em SEXO!” não existe lance de cobrança da Sociedade, pais que não escuta, se fosse assim, eu o Senhor Crítico seria o maior assassino de todos os tempos, seria ladrão, traficante ou algo assim. É uma questão antropológica até, muitas mulheres viram putas por vicio em sexo, vontade de transar cada vez mais, mulheres casadas que necessitam de cada vez mais de SEXO, viram prostitutas daí dizem que “Eu precisava sustentar meus filhos, e sou pobre e etc etc” tudo ladainha. Com o fim dos Tabus hoje em dia, muitas mulheres continuam dando mais que Chuchu na cerca, a diferença que hoje elas não cobram, mais continua como nos séculos passados, procuram homens para satisfazê-la e pronto, a diferença é que prostituta junta o útil ao agradável. Não vi o filme dela, nem o Livro. Aliais conheço muitas, muitas Prostitutas, conheço desde aquelas que são pobrezinhas, até as Scort Girls (Acompanhantes de Luxo) tenho amizade com elas, não que eu seja cliente, e sim AMIGO mesmo, e sei como funciona esse meio. Como fato até: Essa semana uma garota de minha sala disse ao nosso pequeno grupo de 5 pessoas que era prostituta, alguns olharam meio repudiando e eu soltei um BELO: Parabéns, você com certeza ganha em 1h o que ganho em uma semana, casa comigo e me sustenta? Rsrsrs

    Bom é isso, de volta a minha campanha “Não comentar no Café com mulheres pois elas nunca comentam no meu”

    Obs: Parabéns a Su Noschang que escreveu muito bem seu comentário.

    ResponderExcluir
  7. Os comentários do Thiago e de Su (veja bem..usei "de" Su - pois não sei se é homem ou mulher..ou quem sabe uma entidade..) foram fantásticos.
    Olha, Pri..pena eu tenho é de mim, viu..que acordo cedo para caceta e pego transporte público lotado. Eu também nunca julguei as prostitutas porque acho que todo produto para existir precisa de público, precisa de quem compre..e se tem nêgo para comprar que assim seja. Para mim, são comerciantes como qualquer outro negócio..e assim como eu não tenho nenhum tipo de sentimento para com o padeiro da minha rua, elas tbm não fedem e nem cheiram para mim.

    Já a hipocrisia, de fato me incomoda, assim como vc colocou.
    Acho deprimente a poisição que algumas mulheres se colocam a troco de nada..sem negócio entende...
    Casamentos falidos, humilhações...tudo por um falso status social.
    Isso sim me incomoda.

    Eu acho ela espertííssima.
    Tá aí, ganhando o dinehiro dela, ficando rica e eu tô aqui.
    Faria o que ela fez? Não.
    Então me resta viver minha vida e deixar a dela que se resolva.
    Xô hipocrisia! Xô falso moralismo!
    (tão Xuxa esse xô, né? Tão anos 80)

    Vou aderir a campanha do Thiago.
    Vai lá comentar, pô.
    O cara merece.

    ResponderExcluir
  8. ahahahahah...entidade, coitada da Su!
    Saibam que tenho pena de tudo, é um defeito foda mais tenho ahahahah

    Esse fds salvei uma gatinha linda recém mamãe de ser comida por um cachorro. Ela era linda, miava muito de fome e dengosa que só!
    Quase levei para casa, mas dentro do ônibus, rá difícil!

    Enfim, eu sou assim tenho pena de tudo, mas depois do comentário da Su, sei não, cada um tem o que merece ahahhha

    Thiago eu só comento, quando sei o que falar! Beijosss

    ResponderExcluir
  9. Vejo alguns comentários falando de um tal de Thiago, por acaso os comentarios dele foram apagados? Juro que não consegui achar nenhum Thiago aqui nos comentários. E quanto a mim? nenhum citaçãozinha.. Buááá

    Obs: Apenas para completar, a garota da minha sala que é Scort Girl, falou hoje que cobra (sente-se por favor para o Susto) R$ 150,00 A HORA! Com certeza ela ganha em 1h o que ganho em uma semana.

    ResponderExcluir

Opiniões diferentes serão respeitadas, apenas pedimos que sejam expostas com bom senso e respeito. Sente-se e não se esqueça de sua xícara de café. Desabafe conosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...