terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Amy Winehouse: Musa, louca ou uma pessoa normal?

Amy Jade Winehouse, nascida no ano de 1983, no subúrbio de Londres, em uma família judia de quatro pessoas: o pai Mitchell Winehouse era motorista de Taxi (mais conhecido no Brasil como "o taxista"), Janis ( a mãe) era farmacêutica e Alex Winehouse (o irmão), que na infância de Amy fez-lhe companhia nas risadas e brincadeiras. A dupla de irmãos gostava de assistir seriados de tv como Fawlty Towers, um sucesso nos anos 70, que fez a cabeça dos britânicos durante anos.
Durante a adolescência, Amy conviveu com os abusos do pai com sua mãe, devido ele ter uma outra mulher, a qual se tornou sua esposa em 1996. Amy e seu irmão sabiam disso e presenciavam o sofrimento da mãe. Eles chamavam-na de "a mulher do papai no trabalho" essas é a frase que o pai desnaturado proferiu ao revelar a história para a mídia.  Interessante como ele não se preocupou com os danos psíquicos que essa fator poderia causar em seus filhos... Amy iniciou sua vida de usuária de drogas aos 18 anos de idade. Ela dizia ter o direito de fazer o que bem entendesse, sem dar satisfações a ninguém. Não deixa de ser uma verdade. Mas como tudo na vida, deve ser feito com responsabilidade. A liberdade nada mais é do que o direito de fazer o que se deseja, seguido da responsabilidade de assumir suas conseqüências, sem envolver os indivíduos a sua volta.
Amy foi envolvida em diversos escândalos, foi pega com quantidades excessivas de drogas, foi parar nos tribunais, dormiu na cadeia, pesou 47 quilos devido aos seus excessos, descontrolou-se, gritou, bateu, xingou e apanhou. Assumiu todas as suas conseqüências!
Hoje em dia, ela é uma cantora consagrada, com uma voz de dar inveja, um ritmo e postura que influenciam as novas gerações.
Mas o que existe de especial nela? Nada, absolutamente nada. 
Não existe a musa, não existe a deusa, ela é apenas uma mulher cheia de traumas de infância, que recentemente divulgou ter o sonho de ser mãe e ser feliz (sim claro Amy, e eu torço para que você não traumatize seu filho ou filha).
A mídia super valoriza tudo, e as pessoas seguem tudo como bestas. O caso de Amy é muito mais complexo do que se imagina. Ser uma cantora polêmica, está destruindo sua vida, seu sonho de ser mãe. E mesmo assim a sociedade acha lindo ouvir suas desgraças.
Ela pode ter um voz esplendorosa, mas só isso?!
Atualmente Amy está em turnê pelo Brasil. Segundo dizem "Reabilitada", livre das drogas. 
E EU SOU O BOZO!
Amy aparece na sacada do hotel e deixa seios a mostra. Em seu show no Rio de Janeiro, toma cerveja para aliviar o calor. Mantém em seu camarim diversas garrafas em temperatura ideal para consumo. 
Durante todo o show, Amy utiliza uma toalha para limpar seu nariz. Em um  determinado momento, esfrega o dedo indicador entre a gengiva e dá alguns "pulinhos". Faz visitas constantes ao backstage, sai sem nem ao menos dar tchau ao público. Que por sinal, pagou horrores para assistir um show da tão considerada MUSA!
Artistas como  Fernanda Lima, Paola Oliveira e Emanuelle Araújo retiraram-se de seus camarotes vips para reclamar da apresentação da cantora. 
Deixa seus músicos cantares 3 músicas seguidas, sem aparecer no palco.
“Imagina se todo mundo que quiser ser diva terminar seus shows ou espetáculos sem agradecer ou dar tchau? Acho que ela tem uma voz poderosa e ponto final. O show deixou muito a desejar apesar da artista maravilhosa que ela é. A sensação que eu tive foi de que as pessoas só compram o ingresso para assistir a um tipo de circo dos horrores e só ficam satisfeitos quando a mulher se droga ou cai bêbada”, comentou Antonia Fontenelle.
Louca não, completamente normal! Uma mulher que quer dinheiro, para manter o seu vício, que descobriu o que faz de melhor (MÚSICA), que precisa de ajuda, mas primeiramente precisa reconhecer que tem um problema, que nada mais é, que um pontinho na escuridão e um dia como todos os outros, se apagará.
O blues/ soul / jazz, sua voz marcante e suas polêmicas serão esquecidas. Um novo artista surgirá, dizendo ser influênciado por sua música. Só isso, e nada mais! Ela terá sido apenas a influência.

Como diria o Cazuza: "Por que discos, arranham e quebram".
Sem mais...
REHAB BUT I SAID "NO, NO, NO"!


Link para matérias de pesquisa utilizadas no post:
E claro A Wikipedia

Beijos cafeinados para todossss!!

9 comentários:

  1. Não conheço mais que duas músicas da Amy. Mas posso afirmar com certeza a voz dela é maravilhosa.

    Não sei se deveria usar essa expressão "pena" mas no fundo sinto isso. Ela poderia ser um sucesso muito maior se não exagerasse tanto.

    Ela tem uma carreia, uma voz poderosa, é jovem e poderia ser bem mais do que imagina. Mas escolheu ser assim. Pelo menos ela assume todos os seus atos.

    Quanto a sair do palco sem se despedir, vi uma cena igual da Ana Carolina no Criança Esperança de 2001. Ela entrou no palco na hora do intervalo, sentou no banquinho, não falou nada. Quando voltou do intervalo cantou, levantou e saiu sem falar nada, nem oi nem tchau. Acho a Ana Carolina uma cantora de voz incrível também, mas depois dessa atitude não consigo vê-la com bons olhos.

    Espero que ela não tenha um fim trágico como muitos outros "astros" que jogaram a carreira, familia, e o pior a vida fora.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Ah faltou: Eu acho ela Musa pela voz e presença marcante.

    Acho ela louca por tudo que faz.

    E acho ela uma pessoa normal, que tem sonhos (o de ser mãe) e de ser fraca (como nós muitas vezes) para mudar de vida.

    ResponderExcluir
  3. Hoje o pessoal do meu trabalho estava me sacaneando com essa turnê da Amy aqui no Brasil. Todos sabem que gosto dela, mas tenho que concordar com você que apesar dela ter uma puta voz, está desmoronando em todos os outros aspectos... Eu fico muito triste, porque tenho shows dela no meu pc que sempre revejo, gravados lá por volta de 2007, onde foi o melhor de sua carreira e tb onde começou sua queda.

    Espero sinceramente que a Amy algum dia ainda consiga fazer o caminho de volta de todo esse processo autodestrutivo que consome sua vida...

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Apenas LOUCA...

    Acho a voz dela ruim, Musica Ruim e fora que Louca não é.. é "Dorgada" mesmo...rsrsrs as coisas que ela faz não se encaixa em loucura.

    ResponderExcluir
  5. Acho que cada coisa tem seu tempo... Amy foi sim, mais bonita e mais saudável no passado, tentou recentemente se recuperar e ao que parece não surtiu efeito, Mas não vivemos mais na década de 70... acho meio difícil alguem morrer disso nos tempos atuais, com tanto recurso. Ela é jovem, ainda tem tempo de curtir muito e se acertar depois, como aconteceu com a Britney.
    E, apesar de atrapalhar na carreira, pela total falta de qualidade nas apresentações e pela demora de lançamento de novos álbuns, felizmente, o talento dela continua intacto.

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto das músicas da Amy, da voz dela... Mas falta de respeito com o público é complicado... Eu não pago 200,00 pra ir num show dela e ela agir com descaso (como fez no show do rio)... Prefiro usar meu dinheiro com outras coisas e ouvir as músicas no rádio... Autenticidade e falta de respeito são duas coisas bem diferentes!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Sinceridade? Eu tenho pena dela...et ambém de muitas outras pessoas que crescem em famílias desestruturadas e acabam virando 'essas coisasa aí' como a Amy
    É complicado tudo isso... nem tem muito o que comentar... Tem tanta gente que passa pela mesma coisa e se perde quando cresce

    Ótimo dia pra você
    ;*
    Marina
    http://queremosfalardemusica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Discordo nesse ponto com a Lady: "acho meio difícil alguem morrer disso nos tempos atuais, com tanto recurso. Ela é jovem, ainda tem tempo de curtir muito e se acertar depois, como aconteceu com a Britney."

    Acho uma comparação irrelevante. Não sou fã de Amy nem da Britney, mas sei a histórias das pichuletes e é incomparável.
    Britney nunca havia sido usuária de drogas na adolescencia, cresceu em uma família estabilizada e seus excessos se deram pela fama, as influências e aos amores erroneos que correram em sua vida.

    E é aquela coisa, é muita mais fácil salvar alguém no começo de sua crise do que depois de décadas.
    Britney sempre foi uma pessoa que seguiu as regras e viveu em harmonia com o ambiente, não foi usuária de drogas desde os 18 anos de idade, passou a se envolver com isso aos 25 anos com o fim de seu casamento.
    A salvação de Amy é muito mais complexa.

    E com relação a termos diversos recursos, se fosse assim tão fácil Amy estaria livre das drogas, ela não estava reabilitada? Bem, era isso que diziam os produtores antes da turnê. Balela para sustentar o vício de uma mulher que a única música da qual boa parte dos brasileiros conhecem é "Rehab but i said NO,NO, NO".
    E sabem o porque disso?
    Graças ao pânico na TV com o momento AMY.
    E tenho dito!
    A Amy do Brasil foi a Maysa, mesmo passando anos ela continuou com seus vicios.
    Amy = Maysa e o fim será inevitavelmente só!

    Bjs

    ResponderExcluir

Opiniões diferentes serão respeitadas, apenas pedimos que sejam expostas com bom senso e respeito. Sente-se e não se esqueça de sua xícara de café. Desabafe conosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...