terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O outro não é como eu imaginava... E agora?

Toda vez que alguém desperta em nós um sentimento de atração ou encantamento, tendemos a algumas reações bastante peculiares e características. Olhos brilhando, coração palpitando, ansiedade aguçada, pensamentos recorrentes das inúmeras possibilidades de encontro, entre outros que podem nos enredar nas teias da paixão. O fato é que a arena das expectativas é imediatamente armada!

Isto é, independente de o contato ter sido pessoalmente, por telefone ou pela Internet, quando o “sininho toca”, todo nosso corpo reage e toda nossa mente se prepara para o que pode estar por vir. E, mais do que isso, todo nosso ser se preenche com fantasias sobre quem é esta pessoa capaz de nos tirar do eixo e nos levar às nuvens.

A partir daí até o momento em que realmente começamos a reconhecer esse alguém – com todas as suas qualidades e limitações, muitas máscaras e simulações vão rolar. Não que as pessoas sejam falsas, de modo algum. Não é de caráter que estou falando agora, mas de dinâmica de relacionamento, algo que poderíamos chamar de “a dança do enamoramento”.

Acontece que quando queremos conquistar alguém, tendemos a – tal qual um pavão – exibir o que temos de melhor, de mais bonito e atraente. Afinal, a ideia é fazer com que o outro não tenha olhos para mais nada nem ninguém. E para corroborar com essa intenção, o outro também faz questão de alinhar seu senso crítico a fim de que o “exibido” seja mesmo tudo o que ele espera.

E que bom que funcionamos assim: na maioria das vezes, um quer ser gostado e o outro quer gostar, e vice-versa. É justamente essa congruência de desejos que abre espaço para que o amor surja... ou não! Porque o que vai se tornar cada vez mais evidente é o que cada um realmente é, com todos os seus méritos e débitos. E não há nada de mal nisso. Pelo contrário: é somente com essa realidade que podemos nos relacionar de fato!

O problema é quando um ou outro exagera na exibição e, na impossibilidade de sustentar tamanha idealização, termina por decepcionar; ou ainda quando um ou outro exagera nas expectativas e, na primeira constatação de limitação, termina decepcionado.

Sendo assim, mais do que tentar ser perfeito ou esperar a perfeição do outro, procure se relacionar da forma mais espontânea e autêntica possível. Se o outro não é como você imaginava, tente perceber em que momento aconteceu o desencontro entre expectativa e realidade.

Se descobrir que está exigente demais e, por isso, tem se decepcionado facilmente, fique mais atento às suas próprias limitações e, certamente, vai se tornar mais complacente com o outro. E se descobrir que está carente demais e, por isso, tem se encantado com todo mundo, sempre na esperança de ter finalmente encontrado seu grande amor, comece a ter consciência do que realmente quer. Senão, vai se apaixonar e desapaixonar indefinidamente, cavando um poço de frustrações cada vez mais fundo.

Na dança do amor, a sintonia é bem maior quando cada um sabe reconhecer seus talentos, bem como admitir o que ainda precisa aprender. E se o outro não é como você imaginava, talvez você também não seja como ele imaginava... e que ótimo, porque agora resta apenas a oportunidade incrível de serem quem verdadeiramente são e ficarem disponíveis para alguém que se encante por essa realidade! 

7 comentários:

  1. Pela primeira vez eu demorei para ler um texto aqui, a cada paragrafo lido, tive que abrir o dicionário.
    De Onde surgiu palavras tão cultas como "a dança do enamoramento" (Seria dança do acasalamento? rsrs), "corroborar", "congruência", "complacente"
    O Blog ficou em um nivel muito maior que a de inteligencia de meu senso critico.

    Sei que quase todos os POSTS vaz eu desanimar com os relacionamentos, tudo bem que isso esta mais parecendo uma aula de Filosofia grega, falando de Ilusões e realidade, cada post uma pitada de realidade dentro dos EGOS das Leitoras (E leitores). Somos imperfeitos, sabemos disso, mas parece que todos os posts agora existe uma mensagem subliminar que diz:
    "Cuidado mulheres, os homens não prestão, de qualquer forma vão te enganar e você vai se ferrar".

    Essas "Verdades" impostas em nossa mente até que são bem vindas, sabemos da Verdade, bem ou mal ela esta dentro de nós.
    Agora vai uma verdade, quer apostar que os próximos comentarios aqui será:
    "Adorei o POST, concordo com Tudo, eu já tive um relacionamento que foi assim e sofri muito, pois o cara deixou a mascara cair e vi que não era nada do que eu esperava e bla bla bla"

    Mas Valeu o POST Ka, fez eu tirar a poeira de meu Dicionario.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. O esquema é não idealizar muito. E não é por medo, algo assim, é por ter consciência de que raramente o que vc imagina da pessoa, é a realidade... Tem que deixar as coisas rolarem, sem presão.
    O problema é que estamos cheios de pressão. A novela, a sociedade, tudo, quase tudo... faz com que agente pense "preciso arrumar alguém, uma amor". As pessoas acham que só quando tiverem um parceiro, é que vão ser felizes. Daí, acabam namorando quem não deveria... Ou se apaixonando pelo poste, só porque ele deu bola e é simpático.
    AS pessoas precisam aprender a ser felizes sozinhas pra ter coragem de deixar os outros verem os defeitos e assim, gostarem delas do jeito que são. óbvio que queremos mostrar o melhor... mas exibir o melhor não significa escoder as coisas ruins, como agente costuma esconder.
    Acho que as pessoas tem que ficar mais tranquilas, um relacionamento é bom, mas não é o mais importante da vida. E muitos pensam que se não casarem, ou terem um amor, não conseguirão ser felizes nunca.

    Beijo Kari.

    ResponderExcluir
  3. Isso funciona no começo e muito bem, por isso acho que a outra pessoa, antes de se unir a outra deve analisar todos os aspectos do seu companheiro.

    É fundamental o conhecimento recíproco, sem máscaras.

    A nudez do outro deve ser conhecida sempre!

    BJO

    ResponderExcluir
  4. Franklin.
    Olhando suas resposta, em especial essa frase:
    "antes de se unir a outra deve analisar todos os aspectos do seu companheiro." me faz lembrar do que eu sempre aconselhava em minha amigas.
    Eu sempre dizia, fique, namore, Dê a um AMIGO!
    Dai elas falam que pode estragar a amizade, que namorar com amigo não da certo e etc.. Porisso que acabam se rendendo ao INIMIGO. (Apenas um modo de falar "desconhecido").

    Se ela antes de namorar, for analisar como é o cara, conhecer bem, vai ai no MINIMO uns 2 Meses, dai já virou amigo e "Não rola mais".
    Embora eu acredite que personalidades mudam com frequencia, a Psicologia diz que mudamos a cada 5 anos, eu acho que é a cada 5 meses..rsrs

    Vou mais na da Lais, aprenda a ser feliz sozinho.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Gente do céu, o Tiago consegue arrumar visões como "teoria da conspiração contra homens" até p/este post!!!huahuauhahua capacidade incrível!!!Eu adorei, não por ser mulher, mas por ser humana e saber que tudo isso acontece. Hoje namora há 5 anos e meio e já sei q hoje a gente não se disfarça e não tenta mais gerar expectativas, mas no começo é quase imposssível não criar idealizações e ao msm tempo é difícil fazer o seu EU ser natural, qdo a gente quer conquistar alguém, a gnt não qr mostrar defeitos, vem akela imaginação do que o outro deve pensar de mim, ai gera uma segunda pessoa dentro de vc msm (não é falsidade) pq vc qr chamar atenção e qr criar expectativas no outro em cima do que ele pode gostar em vc.Eu msma não sabia ao certo como eu era de verdd, fui descobrindo conforme a liberdd e o tempo no namoro. Relacionamento é assim, a gnt se descobre a tdo momento e mesmo assim a gente não conhece a si msm(não sabemos do que somos capazes) e estamos smp em fase de descobertas sobre o outro tbm, já q ñ existe tempo q seja o bastante p se ter conhecido tdu sobre alguém.Eu e meu namorado não temos segredos e não tentamos parecer isso ou aquilo, pq já chegamos a um ponto q não há o q se esconder...mas isso ainda não é uma ctz. E ainda assim, qm garante que já nos conhecemos o suficiente? Nem namorando há anos a gnt não se conhece tão bem, sei q qdo morarmos juntos os defeitos maiores vão aparecer. Viver junto e ter família e casa separada é uma coisa, morar junto e ter tdu junto...é outra coisa.

    ResponderExcluir
  6. Gente do céu, o Tiago consegue arrumar visões como "teoria da conspiração contra homens" até p/este post!!!huahuauhahua capacidade incrível!!![2] kkkkkkk

    E concordo com que a Laís disse.

    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Viviane e Ká,

    Esse foi meu UNICO comentário onde não apresentei a Teoria da Conspiração..hahaha Juro que dessa vez fui imparcial.. Poxa, desisto, até quando sou bonzinho acham que sou ruim..hahaha

    ResponderExcluir

Opiniões diferentes serão respeitadas, apenas pedimos que sejam expostas com bom senso e respeito. Sente-se e não se esqueça de sua xícara de café. Desabafe conosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...